Nie Congzhi era um médico altamente competente que vivia em Huating, Yizhou, durante a Dinastia Song. Um homem chamado Yi Cheng morava na mesma cidade do dr. Nie. Quando a esposa de Yi, Li, ficou gravemente doente e estava perto da morte, o tratamento médico do dr. Nie salvou a sua vida.

Li se recuperou bem, mas era uma mulher bonita, de pouca moral. Ela ficou encantada pelo dr. Nie por causa de sua boa aparência e personalidade. Quando o marido de Li saiu da cidade, ela enviou alguém para dizer ao dr. Nie que estava sofrendo uma recaída. Quando o dr. Nie chegou, Li sussurrou-lhe sedutoramente: “Eu quase morri, mas você salvou a minha vida. Não há nada no mundo que eu possa fazer para lhe agradecer corretamente. Eu gostaria de oferecer o meu corpo para o seu prazer. Por favor, concede-me o meu desejo”.

O dr. Nie ficou chocado com suas palavras e recusou educadamente. Li chorou, pedindo-lhe para aceitar. O dr. Nie saiu às pressas da casa dela e voltou à casa dele. Quando Li enviou alguém para chamar o dr. Nie novamente, ele se recusou a ir. Então, Li visitou Nie uma noite. Ela entrou no quarto de Nie, pegou sua mão e disse: “Doutor, por favor, concede-me o meu desejo!” Nie afastou-se e saiu do quarto apressadamente.

Um ano mais tarde, Huang Jingguo, um oficial em Yizhou, desmaiou devido a uma doença. Seu espírito entrou no submundo, onde viu uma mulher, às margens de um rio, abrir o próprio abdômen com uma faca e começar a limpar os intestinos.

Um monge apareceu ao lado de Huang e disse-lhe: “Esta mulher é a esposa do seu colega de Yi Cheng, Li. Ela foi condenada a limpar os próprios intestinos, como punição por sua luxúria. Por haver tentado o dr. Nie a cometer adultério, sua vida foi encurtada por 12 anos. O dr. Nie permaneceu sem ser afetado pelas tentações da luxúria; ele realmente é uma boa pessoa. Portanto, 12 anos foram acrescentados à sua vida, e sua família foi abençoada com uma posição de oficial do governo para cada geração subsequente”.

Huang era um bom amigo do dr. Nie. Após voltar à consciência e se recuperar da sua doença, ele fez uma viagem especialmente para visitar o dr. Nie e contar a história que ouviu sobre a esposa de Yi Cheng, Li.

Nie ficou muito surpreso: “Ninguém ouviu o que Li me disse; eu estava sozinho, quando ela veio ao meu quarto naquela noite. Li e eu éramos as duas únicas pessoas que sabiam que isso aconteceu. Como você poderia saber sobre isso?” Então Huang contou a Nie a sua experiência no submundo. Mais tarde, ele verificou que, o que havia ouvido do monge, acabou acontecendo: um dos filhos e um neto do dr. Nie tornaram-se funcionários do governo.

As Leis dos Céus não se alteraram

Os chineses antigos acreditam que assim que um pensamento vem à sua mente, ele é visível no céu. As Leis dos Céus não mudam, mesmo que os padrões morais em relação a homens e mulheres mudem no mundo humano. Pensamentos e comportamentos lascivos trarão inevitável punição, o que poderia até mesmo ser transmitido às gerações posteriores ou manifestado em vidas posteriores.

No entanto, o Partido Comunista Chinês (PCCh) promoveu o ateísmo e tem sistematicamente destruído as crenças das pessoas no divino. Na China de hoje, as pessoas já não acreditam que o bem será recompensado e o mal punido. Filmes, programas de TV, literatura, teatro e outras formas de cultura estão cheios de sexo e relacionamentos imorais. As pessoas, sem saber, aceitam isso e facilmente se tornam presas fáceis do demônio da luxúria. O PCCh tem destruído muitas das nossas bênçãos.

Romper com a luxúria é um passo crítico no destino de qualquer pessoa. Siga o que Confúcio disse: “Não olhe para o que não está de acordo com os ritos. Não ouça o que não está de acordo com os ritos. Não fale de forma que não esteja de acordo com os ritos. Não aja de maneira que não esteja de acordo com os ritos”.

Fonte: Minghui.org

Categorias: Cultura

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds