Mike Pence advertiu os membros da APEC sobre a aceitação da dívida externa que “poderia comprometer a sua soberania e protejam os seus interesses, preservem a sua independência.

A Cimeira de Cooperação Económica da Ásia-Pacífico (APEC), em Papua Nova Guiné, terminou domingo, 18, sem um acordo formal, o que acontece, pela primeira vez, em cerca de 30 anos.

No meio de uma guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, os líderes dos dois países não chegaram a um acordo sobre a declaração final, disse o primeiro-ministro de Papua Nova Guiné, Peter O’Neill, após a cimeira.

Mas um alto funcionário dos EUA envolvido nas negociações disse aos jornalistas o desacordo havia sido entre a China e o resto da APEC, e não apenas com os Estados Unidos. O funcionário considerou a falta de consenso “sem precedentes”.

Um dia antes, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, e o presidente chinês, Xi Jinping, apresentaram opiniões económicas concorrentes, no diálogo com líderes regionais na cimeira de Port Moresby, capital da Papua Nova Guiné.

Pence advertiu os membros da APEC sobre a aceitação da dívida externa que “poderia comprometer a sua soberania” e pediu aos membros da APEC que “protejam os seus interesses, preservem a sua independência. E, assim como os EUA, sempre coloquem os vossos país em primeiro lugar”.

Pence disse que o compromisso dos EUA com a região do Indo-Pacífico nunca foi tão forte.

Xi falou sobre a sua iniciativa um cinturão, uma estrada, projectada para reforçar uma extensa rede de ligações terrestres e marítimas com o Sudeste Asiático, Ásia Central, Médio Oriente, Europa e África. Xi disse que não há agenda geopolítica por trás dessa iniciativa.

Pence também reuniu com o primeiro-ministro australiano Scott Morrison, e saudou o anuncio de um novo programa de apoio às nações do Pacífico.

Os dois líderes também anunciaram que seus países construirão uma base naval na Ilha Manus, em Papua Nova Guiné.

Fonte: Voa Português

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds