O coordenador humanitário da ONU na República Centro-Africana, Najat Rochdi, disse que “Este ciclo vicioso de ataques repetidos contra civis é inaceitável”.

Mais de 40 pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas na República Centro-Africana, na sequência de um ataque contra uma missão católica, que abrigava 20 mil refugiados, disse um legislador regional.

O ataque aconteceu na quinta-feira em Alindao, uma cidade a 300 quilómetros a leste da capital Bangui. Milhares de pessoas foram forçadas a fugir quando a missão foi incendiada, disse a Organização das Nações Unidas (ONU).

“Nós contamos 42 corpos até agora, mas ainda estamos à procura de outros. O campo foi incendiado e as pessoas fugiram para o mato e outros acampamentos de deslocados internos na cidade “, disse à Reuters o legislador de Alindao, Etienne Godenaha.

Uma fonte humanitária confirmou que mais de 40 pessoas foram mortas.

O coordenador humanitário da ONU na República Centro-Africana, Najat Rochdi, disse que “Este ciclo vicioso de ataques repetidos contra civis é inaceitável”.

Milhares morreram e um quinto dos 4,5 milhões de habitantes da República Centro-Africana fugiu na sequência do conflito, que eclodiu depois que rebeldes muçulmanos Seleka terem deposto o presidente François Bozize em 2013, provocando uma reação das milícias cristãs anti-balaka.

Mesmo após a eleição de um novo líder em 2016, o país continua a enfrentar instabilidade política e violência.

Fonte: Voa Português

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds