As pessoas nos tempos antigos respeitavam os céus, valorizavam a virtude e acreditavam que seu comportamento deveria corresponder ao que foi ordenado pelos céus.

Ao realizar o mandato celeste e atribuir importância ao cultivo pessoal do caráter e comportamento, a cultura tradicional chinesa guia pessoas para serem bondosas de coração e com consciência dos valores pessoais. Libertando as pessoas do desejo de autointeresse, fama, lucro, e enfatizando, ao invés disso, o aperfeiçoamento do caráter moral, de modo a alcançar o cumprimento e aquisição das bênçãos celestiais.

As histórias nos livros antigos nos dizem que as posses materiais não deveriam realmente importar. Naquela época, as pessoas colocavam ênfase na virtude e mantinham um bom comportamento. Livros antigos afirmam que a pessoa deve se preocupar com o estabelecimento da virtude e que não deve se preocupar com certas carências como estar sem virtude, já que, quanto mais riqueza a pessoa acumula, mais problemas podem ocorrer. Enquanto, ao contrário, uma pessoa verdadeiramente virtuosa pode acabar sendo abençoada, mesmo diante de uma situação desastrosa.

Abaixo é apresentada uma história que ocorreu no período Primavera e Outono da China, que se estendeu de 771-476 a.C.

Virtudes elevadas proporcionam glória ao Estado

Ji Wenzi, que faleceu em 568 a.C., serviu como o primeiro-ministro do 20º e 21º governante de Lu, que hoje é a província de Shandong. No entanto, nem a esposa nem seus filhos usavam sedas e cetins. Os cavalos em sua casa eram alimentados com capim em vez de milho.

Zhongsun, filho de Meng Xianzi, que chefiou uma família de renome no território de Lu, perguntou a Ji: “Você é o primeiro-ministro, mas sua família não usa seda ou cetim, e seus cavalos não são alimentados com milho. Outros podem pensar que você é mesquinho, o que não traria muito prestígio para o Estado”.

Ji Wenzi respondeu: “Eu poderia, por exemplo, preferir vestir bem minha família e manter bem alimentado os meus cavalos. No entanto, muitas das pessoas comuns no nosso Estado têm alimentação precária e usam roupas desgastadas. Não me atrevo a diferenciar minha casa de meus compatriotas com sofisticados alimentos e roupas, exatamente por causa da minha posição como primeiro-ministro. Além disso, tenho ouvido que as virtudes elevadas entre as pessoas são o que proporcionam glória a um Estado. Eu não acredito que me exibir com roupas e carruagens acrescentaria prestígio ao Estado”.

Ao ouvir o diálogo, Meng Xianzi irritou-se com o filho. Ele colocou Zhongsun em confinamento solitário durante sete dias. A partir de então, a família de Zhongsun começou a usar apenas roupas simples e seus cavalos passaram a ser alimentados com capim em vez de milho.

Quando Ji Wenzi ouviu falar sobre a mudança de Zhongsun ele observou: “Aquele que é capaz de corrigir seus erros é um modelo digno para os outros”. Ele nomeou Zhongsun como um alto funcionário da categoria de nível médio de oficiais.

Ji Wenzi, ao se dedicar ao bem-estar da sociedade, ter lealdade ao seu dever, diligência nos assuntos do Estado e imparcialidade como chefe de família, ajudou a moldar a moral e os costumes do Estado de Lu. Gerações se passaram, mas sua virtude ainda é falada nos dias de hoje.

Adaptada a partir dos Analetos de Confúcio.

Fonte: Minghui.org

Categorias: Cultura

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds