Zhen Xizhen, um cultivador taoísta na Dinastia Song do Norte (960 dC – 1127 dC), escrevia poemas e ensaios elegantes com maestria. Ele viajava, usando seu conhecimento em medicina chinesa para ajudar os outros. As pessoas o adoravam, pois ele não pedia compensação para ajudar os pacientes.

Quando Zhen tinha 75 anos, ele se deparou com alguém, que lhe disse: “Você tem características de um sábio e vários talentos bastante extraordinários. Isso me lembra a aparência de Li Quan, um taoísta iluminado da Dinastia Tang (618 dC – 907 dC). Apesar de sua idade avançada, não é tarde demais para cultivar a imortalidade”. Assim, ele ensinou segredos a Zhen para cultivar o corpo. “Aprender a essência do Tao é tão fácil como virar a palma da própria mão. O que é difícil é colocá-lo em prática. Você tem que se dedicar bastante para conseguir aplicá-la”, ensinou a Zhen.

Depois de dois ou três anos de prática, Zhen gradualmente rejuvenesceu até manifestar a aparência de quando era jovem. Ao subir as montanhas e andar sobre os rochedos, se movia tão leve como um pássaro.

Zhen informou às pessoas ao seu redor, no outono de 1022 dC, que deixaria o mundo no final do ano. De fato, faleceu no último mês desse ano. Anos se passaram e seu corpo continuava idêntico a quando era vivo. Diz a lenda que Zhen Xizhen alcançou a imortalidade, deixando seu corpo para trás.

Adaptado de História da Dinastia Song, Volume 462, Biografia de Figuras Conhecidas nº 221, Medicina e Outras Técnicas

Fonte: Minghui.org

Categorias: Cultura

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds