“Nós devemos acabar com esta crueldade”: Exibição de documentário e fórum no Alabama sobre a extração ilegal de órgãos

David Matas discursa para os participantes do fórum (Minghui.org)

Mais de 100 membros do corpo docente, estudantes e profissionais de saúde de duas faculdades no Alabama ficaram chocados ao saber da extração de órgãos sancionada pelo governo chinês, quando participaram de uma série de eventos realizados em 25 e 26 de outubro.

Em 25 de outubro, o documentário Human Harvest foi exibido no Spring Hill College. Em 26 de outubro, foram realizados dois fóruns sobre esse assunto nos campus do Spring Hill College e da Southern Alabama University Medical School.

Três oradores responderam a perguntas do público, incluindo David Matas, um conhecido advogado canadense de direitos humanos; G. Weldon Gilcrease, professor assistente na Divisão de Oncologia da Escola de Medicina da Universidade de Utah e membro do Huntsman Cancer Institute (HCI); e Yu Ziqiang, um praticante do Falun Gong que foi torturado na China. O Falun Gong é uma disciplina espiritual tradicional que tem sido brutalmente perseguida pelo regime chinês desde 1999.

Uma mulher chora ao ouvir Yu Ziqiang falar sobre suas experiências na China (Minghui.org)
Dr. G. Weldon Gilcrease dá uma palestra no fórum sobre a extração de órgãos sancionada pelo governo chinês (Minghui.org)
Human Harvest é exibido no Spring Hill College (Minghui.org)
Yu Ziqiang conta sua história de perseguição após a exibição do documentário (Minghui.org)

Cirurgião: “A extração de órgãos é pura maldade”

“Isso é pura maldade”, disse o Dr. Matthews depois de assistir à exibição. Daniel Matthews é um cirurgião local que veio para a exibição com sua filha, uma estudante da Southern Alabama University. O Dr. Matthews disse que sabia sobre o comércio de órgãos no mercado negro, mas nunca tinha ouvido falar sobre a sistemática extração forçada de órgãos na China.

O Dr. Matthews disse que a responsabilidade ética de um médico é usar suas habilidades para salvar vidas, não para ferir pessoas. Ele achava que os cirurgiões chineses envolvidos na extração forçada de órgãos deveriam ter resistido com suas consciências. Ele disse que oraria para que eles percebessem que cometeram crimes.

O Dr. Matthews está satisfeito com o fato de o governo dos EUA ter feito algum progresso na formulação de leis sobre esse assunto. Ele acredita que as organizações de saúde devem tomar medidas para impedir as viagens ilegais para transplantes de órgãos na China, pois, sem um mercado, o governo chinês teria que parar.

“Somos todos seres humanos”

Kyle Mistretta da Alpha Sigma Nu organizou o evento. “É importante”, ele disse. “Não temos medo de ficar juntos e falar ao público sobre essa perseguição. Se não fizermos isso, ninguém saberá disso. Nós não estamos fazendo isso por nós mesmos. Queremos que os outros saibam que as pessoas estão sendo torturadas. Somos todos seres humanos e precisamos respeitar uns aos outros”.

Ele disse que organizou este evento para informar as pessoas sobre os crimes que estão ocorrendo na China. Ele disse que, como americanos, valorizamos a vida e precisamos falar por aqueles que não podem se defender.

Joseph Stautner, um estudante de medicina, disse que podia sentir a dor que os praticantes do Falun Gong experimentavam. Ele disse que não devemos ver esse crime como algo acontecendo com um grupo que não tem nada a ver conosco. “Devemos nos levantar e parar quando vemos essa injustiça”, ele disse. Ele acredita que é nossa responsabilidade ajudar aqueles que estão sendo tratados injustamente.

Sarah Hyde é a presidente da Alpha Sigma Nu. Ela disse que não esperava aprender muito com o filme, nem sabia o quão severa a extração forçada de órgãos é na China. Ela ficou chocada que este crime seja organizado por um governo. Como uma estudando de pós-graduação em direito, ela disse que o documentário a encorajou a buscar um objetivo maior – usando o que aprendeu na faculdade de direito para ajudar aqueles que são perseguidos, como os praticantes do Falun Gong.

Pe. Robert Poirier, da Sociedade de Jesus no Spring Hill College, quer que mais pessoas saibam sobre a extração forçada de órgãos. Ele disse que 27 faculdades e 48 escolas de ensino médio nos EUA têm filiais da Companhia de Jesus, e acredita que eventos semelhantes poderiam ser realizados nesses campus, especialmente nas universidades que têm estudantes chineses.

Durante o fórum, alguém perguntou se os hospitais e médicos chineses podem optar por não se envolver nas cirurgias de transplantes de órgãos ilegais.

O Dr. Gilcrease respondeu que a maioria dos hospitais na China está sob o governo do Partido Comunista Chinês (PCC). É muito diferente dos EUA, então, os médicos na China se tornaram ferramentas que o PCC usa para perseguir o Falun Gong.

Outro participante do fórum perguntou por que a grande mídia do mundo não informa sobre esses crimes.

O Dr. Gilcrease apontou que o PCC controla todas as vozes principais na China. Como as pessoas nas sociedades ocidentais não têm uma compreensão profunda do Partido, elas não conseguem cobrir as complexidades mais profundas por trás dessas histórias em breves reportagens.

O advogado de direitos humanos David Matas disse que a pressão pública da comunidade internacional ajudaria a reduzir o fardo sobre os praticantes do Falun Gong, mas não pode impedir a perseguição. O Sr. Matas apontou que precisamos fazer leis contra o “turismo de transplantes” ilegais e levar à justiça os médicos e instituições chineses envolvidos nessa extração forçada de órgãos.

Muitos membros do corpo docente e estudantes que participaram dos eventos pediram mais informações sobre esse crime e perguntaram como poderiam ajudar.

Fonte: Minghui.org

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds