A China concordou em “reduzir e remover” tarifas abaixo do nível de 40 por cento que Pequim cobra actualmente de veículos fabricados nos Estados Unidos, disse o Presidente Donald Trump, agora que uma trégua comercial entre os dois países ganha impulso e anima os mercados.

Trump e o Presidente chinês, Xi Jinping, concordaram em adiar novas tarifas durante conversas na Argentina no sábado, 1 de Dezembro, declarando uma trégua depois de meses de escalada nas tensões no comércio e em outras áreas.

Num encontro de duas horas e meia, os EUA concordaram em não elevar mais as tarifas a 1 de Janeiro, e a China concordou em comprar mais produtos agrícolas norte-americanos imediatamente.

Os dois lados também concordaram em iniciar debates sobre como resolver assuntos preocupantes, como a proteção à propriedade intelectual, barreiras comerciais não-tarifárias e o roubo cibernético.

Num tweet, Trump disse: “A China concordou em reduzir e remover tarifas sobre carros exportados dos EUA para a China. Actualmente a tarifa é de 40 por cento”.

Tweet de Donald Trump sobre tarifas em exportações de carros para a China
Tweet de Donald Trump sobre tarifas em exportações de carros para a China (Voa Português)

Agências reguladoras da China não responderam a pedidos de comentário sobre o que seria um impulso em potencial para marcas como Tesla e BMW, que fabricam nos EUA e exportam para a China.

Nenhum dos países mencionou tarifas a automóveis nas transcrições oficiais da reunião Trump-Xi.

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds