Uso constante de salto alto, má alimentação e roupas apertadas são alguns dos maus hábitos que colaboram para o desenvolvimento das varizes

O Saúde sem Complicações desta semana traz o médico especialista em cirurgia vascular Luciano Rocha Mendonça (foto), formado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, com residência pelo Hospital das Clínicas da FMRP e mestrado pela FMRP, para falar sobre varizes.

Mendonça explica que as varizes são vasos sanguíneos tortuosos e dilatados que aparecem nas pernas e que, quando não tratados de forma correta, podem acabar desenvolvendo uma trombose. E conta que “a prevalência da doença varicosa é muito popular, comprometendo de oito a cada dez pessoas.”

A doença é crônica e não tem cura. Mesmo após a cirurgia, a chance do paciente voltar a ter os problemas é muito grande. Existem casos em que não aparecem varizes, mas a pessoa sente muita dor nas pernas, e tem também aqueles que apresentam varizes bem grossas e bem dilatadas que podem até mesmo desenvolver feridas.

O médico lembra que, devido ao alto fluxo sanguíneo gerado pelas varizes, alguns problemas como inchaço nas pernas e aumento de temperatura devido ao acúmulo de sangue nas partes mais baixas acabam surgindo. “Tudo isso é propício para o desenvolvimento de infecções. As erisipelas e celulites, por exemplo, podem ser consideradas alguns dos problemas de pele relacionados indiretamente às varizes.”

A primeira orientação quanto aos tratamentos, lembra o médico, é a mudança no estilo de vida, isto é, perda de peso, não utilizar roupas apertadas, evitar o uso de salto muito alto e praticar atividades físicas. Em outros casos, é recomendado o uso de medicamentos e de meias elásticas, ou até mesmo tratamento cirúrgico.

Mendonça adverte sobre o uso de cremes que prometem acabar com as varizes e diz que na visão profissional são duvidosos, mas que o uso de cremes por si só ajuda, “eles melhoram a sensibilidade da pele, até mesmo a própria massagem colabora para que o retorno venoso se amplifique. Mas aquilo que se mostra em propagandas, sobre sumir de vez, é mentira.”

Ouça matéria na íntegra, aqui.

Fonte: Jornal da USP

Categorias: Ciência

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds