A exposição internacional da Arte de Zhen, Shan, Ren (Verdade, Compaixão, Tolerância) foi realizada na Galeria do Senado Federal de 11 a 20 de março de 2019. 12 deputados enviaram congratulações para marcar a abertura da exposição e cinco deputados enviaram cartas de boas-vindas.

Pressionada pela Embaixada Chinesa, a exposição encerrou dois dias antes da data programada, que era 22 de março. Esse ato mostra a influência global do Partido Comunista Chinês (PCC) e suas tentativas de esconder os fatos da perseguição ao Falun Gong. No entanto, a exposição teve um grande impacto sobre os deputados eleitos, funcionários do Senado e sobre o público. Vários deputados ficaram chocados ao tomarem conhecimento da extração forçada de órgãos dos praticantes presos do Falun Gong, sancionada pelo PCC.

Visitantes vão à Exposição Internacional da Arte de Zhen Shan Ren em Brasília, Brasil (Minghui.org)

Deputada de São Paulo: A fé é um direito dado aos seres humanos por Deus

Katia Sastre, deputada do Estado de São Paulo, é também uma policial. Quando ela soube que o PCC usa todos os níveis do regime chinês para coagir as pessoas a abandonarem sua fé, ela balançou a cabeça e disse: “A fé é o direito mais básico e nobre dado por Deus aos seres humanos. Nenhum governo ou organização pode impedi-la”.

Funcionários do Senado Federal aprendem sobre o Falun Gong

A funcionária do Senado, Mônica, não pode esconder seu entusiasmo ao ver as pinturas. Ela comentou que as pinturas transmitem o poder da bondade. Ela disse a um praticante: “Vocês todos possuem um tipo de afinidade que me faz feliz estar com vocês”.

Mônica comentou que planejava ir ao local de prática para aprender os exercícios do Falun Gong. Ela disse: “Essa exposição e seus esforços são um enorme presente. Muito obrigada!”.

Mônica estava comovida pelas obras de arte (Minghui.org)

Outro funcionário do Senado, Ermínio, também apreciou as obras de arte. Por um longo tempo ele observou a pintura que mostra praticantes de Taiwan sentados juntos formando o símbolo do Falun em grande escala. Ermínio tirou uma foto do símbolo.

Depois de ouvir sobre a história do símbolo do Falun, ele disse que de repente percebeu que: “Meu primeiro entendimento [do símbolo] estava errado. O símbolo tem um significado tão sublime. Realmente temos que reavaliar nosso conhecimento da história do mundo”.

Funcionários do Senado Federal posam para uma foto na Exposição Internacional da Arte de Zhen Shan Ren (Minghui.org)

Evelin que também trabalha na câmara, aprendeu sobre o Falun Gong ao morar em Nova York no ano de 2011, mas não chegou a praticar.

Quando ela viu a pintura, As ruas de Manhattan, ficou comovida e disse que esperava ir ao parque para aprender os exercícios. Ela também disse que convidaria seus parentes a irem visitar a exposição.

A pintura “As ruas de Manhattan” tocou a Evelin (Minghui.org)

Visitantes apreciam as pinturas

Maria Fareide retornou várias vezes para ver as obras de arte. Ela disse: “A cada vez eu sinto diferentes conotações das pinturas. As cores dessas pinturas são muito penetrantes e me fazem feliz”, observou ela.

A perseguição aos praticantes na China a deixou triste, mas ela disse que a justiça definitivamente prevalecerá.

Sandra, dos EUA, visita a exposição (Minghui.org)

Sandra, visitante de São Francisco (EUA), amou as pinturas. Ela tirou várias fotos e disse que estudaria as informações sobre as obras de arte. Ela compartilhou que estava muito interessada em aprender mais sobre o Falun Gong e que iria procurar na internet um local de prática mais perto para aprender os exercícios.

Fonte: Minghui.org

Categorias: Cultura

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds