Jennifer Zeng, uma jornalista e ativista de direitos humanos que tem sido ativa na conscientização em todo o mundo sobre a perseguição aos praticantes do Falun Gong na China, visitou Israel no início de fevereiro de 2019.

Jennifer, uma praticante do Falun Gong, foi presa por sua crença e enviada para um campo de trabalho forçado, onde sofreu terríveis torturas. Ela fugiu da China em 2001 e recebeu asilo político na Austrália. Desde então, ela tem contado sua história – como em seu livro, publicado em 2005 – dando palestras, reunindo-se com figuras públicas e fornecendo entrevistas na mídia.

Contexto

O Falun Gong é uma prática espiritual que inclui cinco exercícios de meditação. Baseia-se nos princípios da Verdade, Compaixão e Tolerância. O Falun Gong é ensinado gratuitamente em todo o mundo. Tornou-se o método de prática de cultivo mais popular em toda a China, e muitos praticantes adquiriram saúde física e mental com isso.

Pesquisas feitas pelo Partido Comunista Chinês (PCC) em 1999 mostraram que havia cerca de 100 milhões de praticantes do Falun Gong no país. Jiang Zemin (então chefe do Partido), temendo sua crescente popularidade em toda a China, iniciou uma perseguição brutal ao Falun Gong. Aqueles que o praticavam foram despedidos de seus empregos e enviados para campos de trabalho forçado, prisões e centros de lavagem cerebral, onde foram brutalmente torturados. Pesquisas e evidências mostram que os praticantes do Falun Gong na China também são submetidos à extração forçada de órgãos, sendo seus órgãos vendidos para cirurgias de transplante – com muitos pacientes vindos do exterior devido à alta disponibilidade de órgãos na China.

Debates após a exibição de China Livre

O filme Free China, The Courage to Believe, foi exibido em Ramat Hasharon, uma cidade na área central da costa de Israel. O filme é um documentário estrelado por Jennifer Zeng, que conta sua história. O prefeito da cidade estava presente para a estreia.

Quando Jennifer subiu ao palco, a plateia a saudou com aplausos calorosos. Em resposta às perguntas do público, ela descreveu o sofrimento que sua família e outras famílias de praticantes na China experimentaram. Ela também falou sobre a situação atual do crime de extração forçada de órgãos sendo cometido contra praticantes do Falun Gong e outros prisioneiros na China. Alguns na plateia ficaram horrorizados ao saber que a cidade de Tianjin, que atualmente abriga o maior centro de implantação de órgãos no leste da Ásia, tem uma cidade-irmã em Israel.

Muitas pessoas se aproximaram de Jennifer após o evento para expressar seu apoio e agradecer a ela. O prefeito pediu para tirar uma foto com ela que ele publicou mais tarde em sua página no Facebook.

Jennifer Zeng responde a perguntas após a exibição do filme “Free China” em Ramat Hasharon, Israel.

No dia seguinte, na cidade de Hud Hasharon, o filme foi exibido em uma casa particular, seguido por uma reunião com Jennifer. Foi uma reunião da Associação de Mulheres Acadêmicas que oferece bolsas de estudo e vários projetos, com o objetivo de capacitar as mulheres.

Houve um completo silêncio no recinto quando a exibição terminou. Jennifer sentou-se em frente aos espectadores, que fizeram muitas perguntas. As pessoas estavam curiosas para saber sobre sua vida atual, e sobre sua família ainda vivendo na China. Muitas questões foram levantadas sobre o Falun Gong, a perseguição em curso e a motivação do PCC para perseguir o Falun Gong.

A discussão durou mais de uma hora.

Palestra em evento do Epoch Times

Jennifer contou sua história a centenas de pessoas na noite de domingo de 10 de fevereiro de 2019, em um evento do Epoch Times Israel realizado em Herzliya, uma cidade em Israel na região central litorânea.

Jennifer estava entre os nove palestrantes naquela noite. Quando ela contou sua história, a plateia pareceu hipnotizada e aplaudiu entusiasticamente, alguns aplaudindo de pé quando ela terminou.

Jennifer Zeng, no evento do Epoch Times, conta como foi perseguida por praticar o Falun Gong.

Exibição do filme China Livre na Cinemateca de Tel Aviv

Free China foi exibido na Cinemateca de Tel Aviv, com a audiência composta principalmente por assinantes da Cinemateca. Os documentários sobre direitos humanos são comuns na Cinemateca, mas, desta vez, os espectadores tiveram a oportunidade de conhecer pessoalmente o tema principal do filme, Jennifer Zeng, logo após a exibição.

Jennifer sentou-se no palco, acompanhada pelo anfitrião, que traduziu suas palavras para o hebraico. Ela falou sobre sua vida atual e respondeu a perguntas. O salão estava lotado e muitas mãos foram levantadas. O microfone foi passado de uma pessoa para outra e as perguntas fluíram. Quando alguém na plateia pediu que ela demonstrasse um dos exercícios do Falun Gong, ela ficou de pé em seus saltos altos e vestido de noite roxo mostrou a todos os exercícios.

Jennifer Zeng no debate após a exibição do filme “Free China” na Cinemateca de Tel Aviv.

Entrevista pessoal na TV

No dia seguinte à exibição na Cinemateca, Jennifer chegou ao estúdio Channel 11 (um dos três principais canais de televisão israelenses) para uma entrevista que durou cerca de nove minutos. Jennifer abriu a entrevista falando sobre o que é o Falun Gong.

O entrevistador fez muitas perguntas sobre como ela havia sofrido no campo de trabalho forçado, onde foi torturada. Ela respondeu todas as suas perguntas de forma honesta e corajosa.

Jennifer também se reuniu com vereadores nos municípios de Tel Aviv e Haifa, duas grandes cidades em Israel.

A participação de Jennifer nas muitas entrevistas e reuniões durante sua visita a Israel ajudou milhares de israelenses a aprender sobre a perseguição aos praticantes do Falun Gong que está acontecendo ainda hoje na China.

Fonte: Minghui.org

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds