INDIANAPOLIS, Indiana, EUA O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na sexta-feira que retirará os Estados Unidos de um tratado internacional sobre comércio de armas e disse que pedirá ao Senado dos EUA que não ratifique o pacto assinado pelo ex-presidente Barack Obama.

Trump fez o anúncio ao mesmo tempo que prometeu lutar pelos direitos de posse de armas de fogo e convocou os membros da organização NRA (National Rifle Association) para apoiar sua reeleição.

“Estamos sob ataque”, disse ele sobre o direito constitucional de possuir armas de fogo. “Mas não enquanto estivermos aqui.”

Trump disse que revogará o status dos Estados Unidos como signatário do Tratado de Comércio de Armas da ONU, que regulamenta o comércio internacional de armas convencionais, de pistolas a tanques, aviões de guerra e navios de guerra.

O presidente Barack Obama assinou em 2013, mas não foi ratificado pelo Congresso. A NRA o rejeitou por um longo tempo.

“Sob meu governo, nunca vamos desistir da soberania dos EUA para ninguém”, disse Trump, antes de assinar um documento em que pede ao Senado que suspenda o processo de ratificação. “Nós nunca vamos permitir que diplomatas estrangeiros atropelem a liberdade da Segunda Emenda (constitucional).”

A Segunda Emenda à Constituição dos Estados Unidos garante o direito dos cidadãos americanos de possuir e portar armas, incluindo armas de fogo.

Os ativistas pró-armas criticaram o tratado quando estava sendo negociado, dizendo que era uma violação dos direitos dos cidadãos de possuir armas.

Fonte: Bles.com

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds