Pesquisadores da Microsoft, da Universidade Carnegie Mellon e da Universidade da Pensilvânia descobriram que os gigantes da internet como Facebook, Google e Oracle rastreiam a pornografia que seus usuários veem mesmo quando se voltam para as guias anônimas oferecidas pelos navegadores.

Em março de 2018, os pesquisadores usaram uma ferramenta chamada webXray para analisar 22.484 páginas web de conteúdo pornográfico. O objetivo era encontrar ferramentas de rastreamento ou software para fornecer dados de navegação de terceiros, informa o The New York Times.

Como resultado dessa análise, eles descobriram que o Google e suas afiliadas têm rastreadores em 74% dos sites pornográficos, a Oracle em 24% e o Facebook em 10%, o que significa que pelo menos 16.638 dessas páginas têm rastreadores do Google, 5.396 da Oracle e 2.248 do Facebook.

“Esses sites de pornografia têm que pensar mais sobre os dados que têm e como poderiam ser mais sensíveis com as informações”, diz Elena Maris, pesquisadora da Microsoft e principal autora do estudo. “A proteção desses dados é crucial para a segurança de seus visitantes. E o que vimos sugere que esses sites e plataformas podem não ter reconsiderado tudo isso como deveriam ter feito.”

“O fato de um mecanismo de rastreamento ser ativado em sites adultos muito semelhantes ao que é ativado em lojas online deve ser um grande sinal de alerta”, diz Maris. “Isso não é como escolher um suéter e ver como ele persegue você pela web. Isso é muito mais específico e profundamente pessoal “.

A situação é ainda mais preocupante, já que o estudo revelou ainda que apenas 17% dos sites analisados possuem sistemas defensivos, o que significa que os dados de milhões de internautas são vulneráveis a qualquer tipo de ataque de computador.

Em sua defesa, o Google argumenta que eles não permitem anúncios do Google em páginas de conteúdo adulto e que eles proíbem a personalização de anúncios com base nos interesses sexuais dos usuários. Por outro lado, o Facebook alega que impede que páginas pornográficas usem suas ferramentas de rastreamento para fins comerciais. A Oracle ainda não deu uma resposta.

Através de 20 Minutos.

Categorias: Tecnologia

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds