Redação BLes –Depois de drogar e matar seu filho, uma mãe da Pensilvânia EUA, passará os próximos 25 a 50 anos atrás das grades.

NBC da Filadelfia relatou que na terça-feira, 6 de agosto, Jennifer Clarey, 43 anos, foi julgada pelo assassinato de seu filho de 2 anos, Mazikeen Curtis.

“Você estava lá para proteger essa criança e, em vez disso, você foi tão imprudente, e egoísta a ponto de tira a vida dela antes de ter a oportunidade dela explorar tudo o que o mundo tinha a oferecer”, disse o juiz da corte do condado de Bucks, Clyde W. Waite, de acordo com o mesmo meio.

[“Apenas um tolo pode acreditar que o ‘controle de armas’ resolverá o problema” dos massacres: Arcebispo da Filadélfia]

As autoridades encontraram Clarey e Mazikeen em 25 de agosto do ano passado em sua casa em Tullytown. Enquanto Clarey estava deitado em uma cama coberta de sangue, os policiais descobriram que Makizeen não reagia. Um relatório da polícia explicou que seu corpo estava frio.

“O menino não mostrou sinais de vida, ele estava rígido e frio ao toque”, disse o relatório citado pela NBC.

As autoridades chegaram à casa depois que uma assistente social contatou a polícia preocupada com a segurança da criança. No local, a polícia descobriu um contêiner vazio de Vicodin, receitado para Clarey. Eles também descobriram uma garrafa vazia de Benadryl para crianças.

Um relatório de autópsia revelou que Mazikeen tinha concentrações tóxicas de ambas as drogas em seu sistema.

Segundo o Philadelphia Inquirer, A polícia disse que Clarey tinha transtornos depressivos e bipolares. A mulher não trabalha desde os últimos 20 anos, depois de ferir o pescoço em um acidente de carro.

A renda de Clarey veio de pagamentos de invalidez no momento do incidente. Autoridades disseram que ela estava prestes a ser expulsa de seu apartamento.

Após o incidente, Clarey permaneceu no hospital por três semanas. Finalmente, ela foi presa e acusada.

Matt Weintraub, promotor do condado de Bucks, afirmou que o menino havia sido morto por Clarey e que Mazikeen havia morrido várias horas antes da ajuda chegar.

O réu se recusou a falar depois de ouvir sua sentença. O pai do menino, que participou da audiência, também se recusou a falar.

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds