Redação Bles – Mandy Saligari, especialista em vícios e diretora da clínica Harley Street Charter, em Londres, disse que dar um celular à criança “é como dar um grama de cocaína”, de acordo com o  The Indenpendient.

O especialista ressaltou que o tempo que as crianças passam no celular pode ser tão viciante quanto usar drogas ou álcool, já que produz os mesmos impulsos cerebrais.

“Quando você dá ao seu filho um tablet ou telefone, você está realmente dando a ele uma garrafa de vinho ou uma grama de cocaína”, disse Saligari ao site.

[Tudo acontece por um motivo: o que são débitos cármicos e como resolvê-los?]

A especialista em dependência disse que dois terços de seus pacientes tinham entre 16 e 20 anos de idade, embora também tivesse pacientes viciados de 13 anos de idade. “Quando as pessoas tendem a olhar para o vício, seus olhos se concentram em uma substância ou coisa, mas na realidade é um padrão de comportamento que pode se manifestar de maneiras diferentes”, disse ela.

Além disso, ela ressaltou que a exposição de menores ao uso de telefones celulares é potencialmente perigosa, pois abre caminho para um novo crime cibernético conhecido como sexting, que se refere ao envio de mensagens sexuais, eróticas ou pornográficas, através de telefones celulares.

Saligari alertou que quando os pais tentam remover dispositivos eletrônicos das vidas das crianças, eles tendem a reagir com comportamentos semelhantes aos viciados. “Eles vão resistir, porque para eles é como uma terceira mão”, disse ela.

Finalmente, o especialista enfatizou a importância de uma detecção temporária para ajudar os jovens a se auto-controlarem, de modo a não caírem na necessidade de monitorá-los ou controlá-los em todos os momentos.

Categorias: Tecnologia

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds