De acordo com informações compiladas pelo Minghui.org, 329 praticantes do Falun Gong foram condenados à prisão por não renunciarem à sua crença durante o primeiro semestre de 2019.

O Falun Gong, também conhecido como Falun Dafa, é uma disciplina espiritual que tem sido perseguida pelo regime comunista chinês desde 1999.

Os termos de prisão dos praticantes variam de 6 meses a 13 anos, com uma média de 3,51 anos.

 

Um mandato de 13 anos de prisão foi dado ao Sr. Zuo Hongtao, residente da cidade de Qinhuangdao, província de Hebei. Três outros praticantes foram presos junto com ele, incluindo Sr. Wu Wenzhang, Sra. Li Guoai e Sra. Liu Changfu, que também receberam sentenças pesadas de 11, 10 e 8 anos, respectivamente. A esposa do Sr. Zuo, Sra. Cui Qiurong, que não pratica, mas apóia o Falun Gong, foi condenada a 19 meses. A polícia confiscou 150 mil yuans em dinheiro enquanto saqueava a empresa imobiliária do casal.

A sentença dos praticantes ocorreu em todos os meses do primeiro semestre de 2019, com janeiro registrando a maioria dos casos de condenação (94). Todos os outros meses também relataram casos de dois dígitos.

329 praticantes condenados no primeiro semestre de 2019

Um total de 62 praticantes com mais de 65 anos foram condenados. O praticante mais velho foi Zhang Xinwei, 89, que recebeu 3 anos de prisão por registrar uma queixa criminal contra Jiang Zemin, ex-chefe do regime comunista chinês que ordenou a perseguição ao Falun Gong em 1999.

Praticantes idosos do Falun Gong condenados no primeiro semestre de 2019

Entre os casos, 136 praticantes tiveram dinheiro extorquido pela polícia ou foram multados pelo tribunal, em um total de 1.808.300 yuans, com média de 13.296 yuans por pessoa.

O Sr. Luan Ning, morador da cidade de Yinchuan, região de Ningxia, foi condenado a 10 anos de prisão e multado em 100 mil yuanes.

Os praticantes condenados vêm de 23 províncias e municípios. A província de Shandong liderou a lista com 67 praticantes recebendo penas de prisão, seguidos pela província de Heilongjiang (39) e pela província de Liaoning (34).

329 praticantes condenados no primeiro semestre de 2019

A sentença em massa foi proeminente durante o primeiro semestre de 2019. Em particular, 13 praticantes na província de Heilongjiang foram condenados entre 3,5 a 10 anos de prisão em 28 de fevereiro de 2019. Outros 11 praticantes da cidade de Lianyungang, província de Jiangsu foram condenados entre um a sete anos no dia 25 de março de 2019.

Devido ao bloqueio de informações pelo regime comunista, o número de praticantes do Falun Gong que foram condenados nem sempre pode ser informado em tempo hábil e nem todas as informações estão prontamente disponíveis.

Procedimentos legais violados

De evidências fabricadas a audiências secretas, as autoridades violaram os procedimentos legais em todas as etapas do processo de acusação, a fim de enviar os praticantes para a prisão.

O Sr. Du Yihe, do condado de Yinan, província de Shandong, recebeu uma pena de 4,5 anos em 10 de janeiro de 2019. Sua família ouviu rumores sobre o veredicto em outubro de 2018, um mês antes de sua audiência secreta no tribunal improvisado do Centro de Detenção de Yinan em 24 de novembro de 2018.

A Sra. Mo Yaqin, 73 anos, da cidade de Dandong, província de Liaoning, foi secretamente sentenciada a um ano de prisão em 28 de março de 2019. O tribunal não informou seu advogado sobre o veredicto. Somente quando ele foi visitá-la no centro de detenção, em maio, que ele descobriu sobre isso.

A Sra. Ren Suxiang, 55 anos, moradora da cidade de Chifeng, Mongólia Interior, foi sentenciada a 8 anos de prisão em 15 de abril de 2019. Depois de ser indiciada, seu advogado, nomeado pelo tribunal, tentou forçá-la a se declarar culpada. Quando ela se recusou a obedecer, o advogado indicou os seus filhos e mencionou em tom de ameaça que ela poderia ser condenanda a 15 anos ou até mesmo prisão perpétua por se manter firme em sua crença.

Durante suas duas audiências em 28 de fevereiro e 14 de março de 2019, a polícia forneceu relatos contraditórios sobre como eles apreenderam materiais da Sra. Ren. De um relato, eles disseram que os materiais foram entregues pela pessoa que apreendeu Sra. Ren, enquanto em outro, a polícia disse que encontrou os materiais quando saquearam sua casa.

A Sra. Ren disse que a polícia não estava usando seus uniformes e não mostrou um mandado de busca durante a invasão à sua casa. Zhang Zhigang, chefe da delegacia local, respondeu: “A identidade da polícia é o mandado de busca. Podemos facilmente preencher um mandado de busca formal para o seu caso após a audiência”.

O Sr. Li Zhenyang, residente da cidade de Chaoyang, província de Liaoning, tinha as mãos algemadas e os pés acorrentatos, com um pedaço de aço que ligava as algemas e a corrente durante toda a audiência de 22 de março de 2019. Ele não podia ficar de pé nem andar de pé.

A sua família ficou arrasada ao vê-lo confinado dessa maneira, e era a primeira vez que eles o viam desde a sua prisão em 22 de agosto de 2018.

Li foi condenado a 4 anos de prisão em junho de 2019.

Ilustração de tortura: Algemas amarradas a correntes da perna

Praticantes idosos condenados

Mulher de Liaoning, 81 anos de idade, condenada a 2 anos de prisão

Funcionários do tribunal foram à casa da Sra. Hong Shuyun em 25 de junho de 2019 para anunciar que ela havia sido condenada a 2 anos de prisão e multada em 5.000 yuanes por sua crença no Falun Gong.

Sra. Hong, uma residente de 81 anos da cidade de Fushun, na província de Liaoning, foi levada para o Centro de Detenção de Nangou horas depois para um exame físico. Depois que a Sra. Hong voltou para casa, as autoridades disseram que solicitariam exames físicos adicionais para detê-la.

A sentença de Hong chegou meses depois de a Procuradoria local e os funcionários do tribunal terem visitado sua casa para realizar “audiências judiciais” entre março e maio de 2019.

Mulher de 82 anos sentenciada a um ano por distribuir materiais sobre sua crença

A sra. Ma Xiuying, de 82 anos, foi condenada a um ano de prisão e multada em 2.000 yuanes pela Corte do Distrito de Daxing em 18 de abril de 2019. Depois que o Centro de Detenção de Daxing se recusou a aceitá-la devido a sua condição física, a polícia a mandou para casa no mesmo dia e pediu-lhe para esperar por um novo aviso.

A Sra. Ma foi presa em 25 de setembro de 2015 após ser denunciada por distribuir informações sobre o Falun Gong. Ela foi libertada sob fiança, mas foi presa novamente em junho de 2017, quando ela estava em uma viagem fora da cidade. A polícia alegou que ela violou sua condição de fiança.

Apelos de uma centenária para libertação de filha de 80 anos ilegalmente condenada por sua crença

A Sra. Gao Zonghua, 78, moradora da cidade de Hefei, província de Anhui, foi condenada a um ano de prisão e multada em 2.000 yuanes em 24 de janeiro de 2019 por falar com as pessoas sobre o Falun Gong. A sentença veio 2 anos depois que ela terminou de cumprir um mandato anterior de 7 anos, também por sua crença.

A mãe centenária da Sra. Gao foi ao tribunal com sua neta para pedir sua liberação em 21 de janeiro de 2019, apenas para ser rejeitada pelo juiz Ni Na, que condenou sua filha três dias depois. A mãe idosa lamentou não poder comemorar o tradicional feriado do Ano Novo Chinês em fevereiro com sua filha.

Três praticantes do Falun Gong em seus 70 anos receberam pesados termos pela sua crença

Três residentes do condado de Bayan, da província de Heilongjiang em seus 70 anos foram condenados de sete a 9 anos de prisão em fevereiro de 2019.

Sra. Fan Shufen, de 70 anos, e Sra. Wu Guizhi, de 73 anos, foram condenadas a 7 e 8 anos, respectivamente, na Prisão Feminina da Província de Heilongjiang. O Sr. Zhang Hongzhu, de 72 anos, recebeu 9 anos na prisão de Hulan.

Os três praticantes foram presos entre setembro e outubro de 2017 e compareceram no Tribunal de Yilan em 19 de julho de 2018.

Repetidamente perseguidos

Após 9 anos de prisão, residente de Xinjiang condenado a 12 anos por sua crença

O Sr. Zhang Shunxin, 53 anos, residente da cidade de Kashgar, Xinjiang, foi secretamente sentenciado a 12 anos de prisão em 1 de fevereiro de 2019 por enviar cartas com informações sobre o Falun Gong. O juiz não informou seu advogado sobre o veredicto e esperou até que a janela de recurso de 15 dias expirasse para informar verbalmente sua família sobre a sentença em 25 de fevereiro.

Antes de sua prisão mais recente, o Sr. Zhang cumpriu outros 9 anos na prisão No.5 de Xinjiang, entre 2002 e 2011. Ele foi submetido a várias torturas, incluindo a permissão de ter apenas uma hora de sono por dia, como forma de forçá-lo a renunciar sua crença.

Homem de Ningxia condenado a 10 anos de prisão por enviar cartas de correspondência sobre o Falun Gong

O Sr. Luan Ning, de 60 anos, ex-diretor do Centro de Recursos Humanos e Trabalho de Ningxia, foi condenado a 10 anos deprisão e multado em 100 mil yuanes. O veredicto foi anunciado em 16 de abril de 2019, após uma audiência realizada em 14 de fevereiro.

O Sr. Luan foi alvo em fevereiro de 2017, depois de ser denunciado por enviar cartas com informações sobre o Falun Gong. A polícia o acompanhou por alguns meses antes de prendê-lo em 27 de agosto de 2017.

O Sr. Luan foi subseqüentemente acusado de “subverter o poder do Estado”, um pretexto padrão frequentemente aplicado contra ativistas de direitos humanos e praticantes do Falun Gong pelo regime comunista chinês. Seu advogado argumentou que a “evidência” fornecida foi fabricada.

Esta não é a primeira vez que o Sr. Luan foi preso por praticar o Falun Gong. Ele foi anteriormente condenado à prisão duas vezes por um período de três anos e quatro anos, respectivamente.

Condição médica ignorada

Mulher seriamente enferma presa após rejeição prévia para sua condição

Sra. Zhang Fuzhen

A Sra. Zhang Fuzhen, de 73 anos, residente na cidade de Jinan, província de Shandong, foi sentenciada a 2 anos de prisão em março de 2019, pouco depois de voltar para casa após perambular por cerca de um ano para evitar a perseguição. Ela foi denunciada por seus filhos, que haviam sido perseguidos e intimidados pela polícia durante o tempo em que ela esteve ausente.

Com a pressão das autoridades e de seus filhos, a Sra. Zhang desenvolveu pressão arterial extremamente alta, problemas cardíacos e diabetes. Ela foi negada a admissão pela Prisão Feminina da Província de Jinan. As autoridades contrataram duas pessoas para acompanhá-la todos os dias e relatar todas as suas atividades.

O Tribunal do Distrito de Lixia contatou três hospitais para fazer exames físicos na Sra. Zhang nos dois meses seguintes, mas descobriram que sua saúde estava se deteriorando a cada vez.

Em maio de 2019, dois policiais levaram a Sra. Zhang ao Centro de Detenção de Zhonggong para um exame físico. Antes mesmo de receberem o resultado, levaram-na ao hospital da Prisão Feminina da Província de Shandong, onde ela permanece cativa desde então.

Mulher de Shandong com condição médica negada fiança e condenada à prisão por sua crença

A sra. Wang Qiulan, 69, residente da cidade de Shouguang, província de Shandong, foi secretamente condenada a 3,5 anos de prisão em março de 2019.

Apesar do fato de que ela estava com dores no estômago e problemas renais graves, ambos desenvolvidos no centro de detenção, as autoridades negaram a concessão de fiança e a enviaram para a Prisão Feminina de Shandong em meados de março de 2019.

A condição médica de Wang e sua recente prisão deixaram sua família em uma tremenda agonia. Seu marido de 70 anos e a mãe de quase 100 anos de idade estão muito preocupados com ela.

Condenados por conscientizar sobre a perseguição ou ajudar os praticantes

Residente de Chongqing, 72 anos, condenada a 4 anos de prisão por possuir materiais informativos sobre o Falun Gong

Sra. Lan Tailian, de 72 anos, foi condenada a 4 anos de prisão pelo Tribunal do Distrito de Jiangbei, em Chongqing, em 13 de junho de 2019, e multada em 5.000 yuanes. A Sra. Lan foi presa por possuir materiais informativos do Falun Dafa e usar notas marcadas com as palavras “O Falun Dafa é bom” em janeiro de 2019.

Ela apelou ao Tribunal Intermediário de Chongqing, afirmando que a decisão do tribunal de primeira instância era contra a lei e que o juiz e o Procurador estavam plenamente cientes de que a prática do Falun Gong é legal na China.

Mãe, filho e filha condenados à prisão por fornecer abrigo ao praticante do Falun Gong que escapou da prisão prolongada

Sra. Sun Shiying e seus filhos

A Sra. Sun Shiying e seus filhos da cidade de Changchun, província de Jilin, foram presos em 6 de março de 2017 por abrigarem a Sra. Lu Yongzhen, que escapou da detenção logo após terminar a sua pena de 9 anos por sua crença no Falun Gong.

A polícia apresentou os casos contra Sra. Sun, seu filho Sr. Wang Hongyan e sua filha Sra. Wang Hongyan (os ideogramas chineses para os nomes dos irmãos são diferentes, mas soam iguais) para a Procuradoria do Distrito de Chaoyang no início de junho de 2017. O promotor indiciou-os em 10 de julho de 2018 e apresentou seus casos ao Tribunal do Distrito de Chaoyang.

O juiz impediu que os dois advogados da família revissem seus documentos e também tentou impedi-los de representar os praticantes, exigindo que eles enviassem suas informações pessoais à Secretaria de Justiça local, o que não é exigido por lei.

A Sra. Sun e Sra. Wang foram julgadas em 30 de novembro de 2018. O juiz as sentenciaram a 2,5 anos de prisão e multou cada uma delas em 5.000 yuanes no final do julgamento.

O Sr. Wang compareceu ao tribunal em 8 de novembro de 2018. A audiência durou apenas oito minutos. Nem seus advogados nem familiares foram informados. O juiz não anunciou sua prisão de 2,5 anos até cinco meses depois, em 9 de abril de 2019.

Condenação em massa

Nove residentes de Sichuan condenados por sua crença

Nove praticantes do Falun Gong da cidade de Bazhong, província de Sichuan, foram condenados em 7 de janeiro de 2019, três meses após a audiência em novembro de 2018. Todos os praticantes foram condenados com penas de até 5 anos de prisão, além de serem multados.

Seis dos praticantes tinham 70 anos ou mais, sendo dois com mais de 80 anos. Eles foram presos em 22 de dezembro de 2017 por não renunciarem à crença.

Os praticantes, suas idades, sentenças e multas são os seguintes:

Sr. Zhang Xinwei, de 89 anos, 3 anos de prisão, com uma multa de 4.000 yuanes.
Sr. Zhang Minglang, 82, 5 anos de prisão, com uma multa de 10.000 yuanes.
Sr. Kang Zunliu, 71 anos, 3 anos e meio, com uma multa de 5.000 yuanes.
Sr. Zhu Tiangui, 71, 2 anos e meio, com uma multa de 3.000 yuanes.
Sra. Yue Yingcong, 70, 4 anos, com uma multa de 6.000 yuanes.
Sr. Dai Wanyi, 70 anos, com uma multa de 4.000 yuanes.
Sra. Zhou Lihua, 62, 4 anos, com uma multa de 6.000 yuanes.
Sra. Chen Guoqiong, 54, 2 anos e meio, com uma multa de 3.000 yuanes.
Sra. Sun Rong, 40, um ano e meio, com uma multa de 2.000 yuanes.

O décimo praticante, Sr. Yang Jiashun, de 69 anos, que foi julgado juntamente com os outros nove, foi absolvido.

Treze residentes da província de Heilongjiang sentenciados à prisão por sua crença

Treze praticantes do Falun Gong na província de Heilongjiang foram condenados à prisão em 28 de fevereiro de 2019. Suas penas variam de 3.5 a 10 anos, com uma média de 5,8 anos. Nove deles estavam na faixa dos 45 a 59 anos, e quatro entre 63 e 70. A multa média foi de 35.769 yuaness.

Em particular, a Sra. Song Yuzhi, de 65 anos, recebeu um pesado mandato de prisão de 10 anos e recebeu multa de 65.000 yuaness.

Esses praticantes foram presos entre 31 de agosto e 13 de outubro de 2017. Eles compareceram no Tribunal do Condado de Yilan em 24 de julho de 2018. Seus advogados entraram com um pedido de inocência e argumentaram que não havia base legal para a perseguição ao Falun Gong.

Os praticantes entraram no tribunal usando algemas e correntes nas pernas. Seus advogados reclamaram dos maus tratos e exigiram que as algemas fossem removidas de seus clientes. O juiz Lu Shoufang concordou.

13 residentes da provincia de Heilongjiang condenados por sua crença em 28 de fevereiro de 2019

Onze residentes de Jiangsu sentenciados à prisão por sua fé

Onze habitantes da cidade de Lianyungang, residentes na província de Jiangsu, incluindo sete entre 60 a 70 anos, foram condenados à prisão durante sua segunda audiência no tribunal no dia 25 de março de 2019 por praticarem Falun Gong.

Os onze praticantes foram presos em 5 de junho de 2018. A polícia saqueou suas casas e confiscou livros do Falun Gong, computadores, celulares e outros pertences. Eles apareceram pela primeira vez no tribunal em 27 de novembro de 2018.

Lianyungang, provincia de Jiangsu: 11 praticantes de Falun Gong condenados à prisão em março de 2019

Seis praticantes do Falun Gong na província de Shandong condenados

Seis praticantes do Falun Gong na cidade de Taian, província de Shandong, foram condenados à prisão pelo Tribunal da Cidade de Feicheng em 13 de junho de 2019.

A Sra. Lu Keqin, de 68 anos, professora aposentada da Universidade de Ciência e Tecnologia de Shandong, e a Sra. Han Yuehua, de 74 anos, foram cada condenadas a 3,5 anos de prisão e multadas em 30.000 yuaness.

O Sr. Zhang Xumin, 54, ex-vice-diretor do Departamento de Recursos Terrestres da cidade de Feicheng, e a Sra. Liu Qian, 53 anos, ex-professora do ensino primário, foram condenados a 2,5 anos e cada um multado em 30.000 yuaness.

A sra. Hu Xiuxiang, 43, recebeu uma pena de 1,5 anos com uma multa de 10.000 yuanes.

A Sra. Ma Junting, de 78 anos, professora aposentada da Universidade de Ciência e Tecnologia de Shandong, foi condenada a três anos de prisão com quatro anos de liberdade vigiada e multada em 40 mil yuanes.

Os seis praticantes foram presos em diferentes ocasiões, mas todos foram indiciados pela Procuradoria da Cidade de Feicheng em 29 de dezembro de 2018.

Lista de praticantes do Falun Gong condenados por sua crença no primeiro semestre de 2019 (PDF)

Relatórios relacionados em inglês:

60 Falun Gong Practitioners in China Sentenced to Prison in May 2019 for Refusing to Renounce Their Faith

38 Falun Gong Practitioners in China Sentenced to Prison in April 2019 for Refusing to Renounce Their Faith

Minghui Report: 43 Sentenced to Prison in March 2019 for Refusing to Renounce Their Faith in Falun Gong

109 Falun Gong Practitioners Sentenced for Their Faith in January and February 2019

52 Falun Gong Practitioners Sentenced to Prison in January 2019 for Not Giving Up Their Faith

931 Falun Gong Practitioners Sentenced for Their Faith in 2018

Fonte: Minghui.org

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds